Favor não confundir…

Favor não confundir…

Muito embora algumas pessoas tenham se acostumado a dizer que as palavras “Valor”, “Custo” e “Preço” são sinônimos, não é bem assim.

Vamos lá:

  • “Valor” é tudo aquilo que lhe agrega conhecimento intelectual ou prático sobre algo. Noutras palavras, é tudo aquilo que te garante algum tipo de evolução íntima. Por isso, temos que tudo o que tem valor é etéreo, pode ser um colar de diamantes dado pela pessoa amada, uma fotografia sua com seus pais ou uma história bem contada.

  • “Custo” é toda a energia que você entrega para que determinada tarefa ou coisa aconteça. Aqui, entra em jogo o seu esforço físico ou mental, o seu trabalho individual ou coletivo. Para uma mãe, o custo de se criar um bebê, por exemplo, é passar noites em claro e não poder sair de perto dele por muito tempo.

  • “Preço” é o quantum monetário que terceiros – ou a sociedade – atribui para determinado serviço ou mercadoria. Porque uma pepita de ouro vale mais que uma de prata, por exemplo? Porque a sociedade assim convencionou em algum momento de nossa evolução enquanto mercadores.

Tudo tem um “Custo”. E é este que embasa o “Preço” de alguma coisa ou o “Valor” de uma relação, por exemplo. O dia que o ser humano souber diferenciar uma coisa da outra, a vida será muito melhor.

Aprendi tais ensinamentos com minha madrinha Gudrun Ursula Gemperli ao longo de muito tempo. Por isso, nada mais justo que essa coluna seja dedicada a ela.

Previous Alunos da Faculdade Eduvale de Avaré visitam os estúdios do SBT
Next É assim que é um abrigo anti bombas da Guerra Fria