Por que a internet discada fazia aquele barulho ao se conectar?

Por que a internet discada fazia aquele barulho ao se conectar?

Quem viveu no fim da década de 90 e início dos anos 2000 tem um som tradicional que não sai da cabeça: aquele barulhinho (que de inho não tinha nada) que rolava quando nosso computador se conectava ao mundo online na internet discada. Mas o que raios significa aquele som?

 

Tão tradicional após a meia-noite, quando a tarifa para se conectar era gratuita, aquele barulho era capaz de acordar muita gente – mas ao mesmo tempo aquecia os corações de quem morria de ansiedade para desbravar o mundo online e conversar com amigos à distância. Era um som robótico e horrível que muita gente tentava abafar, mas que não deixa de causar saudades quando ouvimos de novo (ouça abaixo).

 

 

Mas apesar de toda essa saudade eu aposto uma coisa: você nunca se questionou o que significava aquele barulho que aparentava ser aleatório. E saiba que cada detalhe do som da conexão da internet discada tem uma explicação tecnológica, como aponta o site norte-americano The Atlantic.

 

A tecnologia por trás da conexão à internet é uma sequência quase coreográfica que permitia que os dispositivos digitais se conectassem à rede de telefone – você deve se lembrar que enquanto navegava na internet da sua casa o telefone ficava ocupado.

 

Vamos ao início do som. Essa é a parte mais fácil: os primeiros barulhos simulam uma chamada telefônica do modem se conectando à rede telefônica. Todos os sons feitos, na verdade, eram nada menos que uma maneira de dados serem transmitidos.

 

“Uma linha de telefone carrega uma pequena variação de frequências em que a maioria das conversações humanas ocorrem: entre 300 e 3.300 hertz. O modem funciona nesses limites ao criar som que as ondas possam carregar dados pelas linhas de telefone”, explicou Gleinn Fleischman ao New York Times em 1998.

 

Depois da discagem, havia uma pausa no barulho. Na sequência, então, os barulhos feitos definiam a velocidade em que os modens poderiam se comunicar. Após mais uma breve pausa, os sons voltam a ocorrer significando uma comunicação para definir parâmetros da conexão como número de databit e paridade – sim, tudo muito técnico.

 

Aí então começava o terrível chiado que significava uma nova negociação da taxa de velocidade. Os barulhos seguintes indicavam configurações do modem e, por fim, o som acabava com a conexão aceita e com a taxa de transferência.

 

Pronto. A partir daí você estava conectado à internet, com uma sensação que muitos jovens nunca sentirão.

 

A frequência dos sons feitos pelo modem representa os parâmetros da comunicação sequente entre o computador e a rede de telefone. Dependendo da velocidade que o modem tenta “conversar”, o som poderia ser diferente.

 

O The Atlantic conclui então que os sons não são um sinal de que dados estavam transferidos: na verdade, são os próprios dados sendo transferidos.

 

Era um mundo analógico sendo invadido pelo digital.

Fonte: UOL

Previous Ricos não conseguem se livrar da própria fortuna
Next Podcast #11