Porquê nós transformamos políticos em mitos?

Porquê nós transformamos políticos em mitos?

Na internet, quando vemos alguma coisa estranha, costumamos dizer que “algo de errado não está certo”.

E o que tenho reparado é que as pessoas estão ”mitificando” políticos, os tratando como se fossem mais do que nós, o que naturalmente não é verdade. Algo de errado não está certo!

Você, caro leitor, quando contrata um serviço, digamos apenas por exemplo, um plano de telefonia fixa, recebe o técnico da operadora em casa com festa? Muda a foto do seu perfil nas redes sociais para fazer alusão ao novo serviço? Você participa de carreatas buzinando e gritando pra quem quiser ouvir, que o seu pacote de telefonia é fantástico? Não! Então porque cargas d’água você age assim com o seu candidato?

Enquanto o povo tratar seus políticos como seres superiores e não como seus empregados, a nossa pátria jamais será grande, pois é dessa lógica perversa que os problemas que assolam nosso povo surgem. Sendo tratados como soberanos, os políticos acreditam que podem tudo, inclusive nos prejudicar. E, uma vez que estejam no Poder, farão de tudo para lá permanecerem, pois ele inebria até o menor dos homens.

Não há no cenário político atual, e nem haverá no curto ou médio prazo como temos visto, qualquer candidato capaz de, por si só, retirar o País do lamaçal ético em que se encontra. E essa é a razão pela qual você deveria se preocupar muito mais com os seus candidatos ao Legislativo do que com o seu escolhido para ocupar o Executivo. Certamente o Prefeito, o Governador e o Presidente da República representam muito, mas a verdade é que eles podem pouquíssimo. No nosso atual sistema político, quem dá as cartas é o Legislativo.

Muito se dirá sobre isso. Inclusive que o sistema deixa nossos Prefeitos, Governadores e até o Presidente da República reféns dos Vereadores, Deputados Estaduais, Federais e Senadores, respectivamente. Essa é a desculpa oficial para a liberação do chamado toma lá, dá cá praticado diariamente em todo o nosso território, por todas as nossas autoridades, praticamente.

Pode até ser essa a origem do problema, pois da forma como se encontram as coisas, quando tudo dá errado, somente o Chefe do Executivo é penalizado, enquanto os integrantes dos já citados Parlamentos se safam. Mas quando tudo dá certo, todos se beneficiam numa espécie de ganha-ganha que de republicano não tem nada.

Mas o fato é que temos o que está aí, e se queremos mudar as coisas, alterando pelas vias legais e democráticas toda a estrutura do Brasil enquanto Nação, devemos eleger somente os melhores. Para todos os cargos. Sem glorificá-los, entretanto.

Previous Um voto de confiança na política
Next Podcast 17