Quem não leu, deve ler!

Quem não leu, deve ler!

O Príncipe, de autoria de Maquiavel! É sem duvidas, sensacional! 
Eu o li este ano a pedido do professor de Direito Constitucional, com a finalidade de um relatório. 
No princípio, como todos, pensei: que livro chato! 
Mas quando me aprofundei a estudá-lo… Nooooooooossa, me apaixonei! Excelente!
Aqui não irei falar exatamente tuuuuuudo que estudei em relação a ele, mas direi os pontos principais! 
– é um livro atemporal, ou seja, passou-se mais de 500 anos e continua de acordo com a realidade.
– Maquiavel faz esse livro no intuito de dá-lo de presente a Lorenzo de Medici (que na época era uma das famílias mais ricas de Florença)
– Naquela época a Itália era dividida em república e principados.
– O livro é um “manual de conduta”, onde ensina a manter-se no poder por mais tempo e conquistar mais territórios.
– Naquela época, um príncipe durava no máximo 3 anos.
– Maquiavel aborda sobre Virtu e Fortu, Virtu no sentido de virtudes, ou seja, qualidades. E fortu no sentido de fortuna, ou seja, oportunidades.
– Fala que um príncipe deve ter a força de um leão e a astúcia de uma raposa. No sentido que, ter a força para lutar e a astúcia para se esquivar.
– Ressalta que um príncipe deve aparentar ter qualidades, mesmo que não as tenha.
– O príncipe deve evitar ser odiado, pois o ódio causa a ira, e a ira causa a revolta e a raiva… Sendo assim, o povo pode o derrubar.
– O príncipe ser respeitado e temido, pois assim as pessoas pensariam duas vezes antes de o trair.
– Amado ou temido? O amor mantém as pessoas próximas e elas estando próximas, podem derrubar o príncipe.

Essas são minhas considerações PRINCIPAIS em relação ao livro!

Previous Sobre o apogeu e queda de Lula, o megalomaníaco
Next Avaré: Museu abre mostra sobre a 2ª Guerra Mundial