Sobre a finitude da vida

Sobre a finitude da vida

Você já pensou em como será o fim de sua vida? Uns refletem bastante acerca do assunto, enquanto outros preferem ignorá-lo.

Tem gente que preferia morrer lentamente para ir tomando ciência, dia a dia, do novo e inevitável fim das coisas… Ao menos como elas são enquanto caminhamos por este Mundo. Outros preferem que tudo seja resolvido rapidamente, assim haverá pouco sofrimento.

Uns acreditam em vida após a morte e até mesmo em reencarnação. Pensando assim, a morte não passaria de um rito de passagem para uma nova existência, que seria, essa sim, a verdadeira. Outros acreditam que  só se vive uma vez e que tudo se acaba quando a última pessoa presente em seu enterro virar as costas rumo ao portão mais próximo.

Mas, a despeito da opinião de cada um, creio que todos gostariam de deixar uma marca positiva para aqueles que ficaram. Porque pior do que a morte do corpo, é a morte dos nossos projetos, princípios e história.

Porque, afinal, a vida não é sobre o que você tem, mas sobre o que você deixou. A vida não é sobre o que você é, mas sim sobre o que você representará para os que ficam. A vida não é sobre o que você fez para si mesmo, mas sim sobre o que você fez para os que cruzaram o seu caminho de uma maneira ou de outra.

Apesar de eu acreditar no bem como algo em si mesmo, penso que não devemos viver objetivando sempre agradar a todos, pois essa é a justa receita para uma vida infeliz. Sempre haverá quem nos julgue mal no calor do momento. Mas o que vale mesmo é o imparcial, peremptório e atemporal julgamento da história.

Previous Podcast 18
Next Faculdade Eduvale de Avaré promove a 11ª edição do CONINCE